COMO MELHORAR A IMUNIDADE EM MEIO A QUARENTENA DA COVID-19?

COMO MELHORAR A IMUNIDADE EM MEIO A QUARENTENA DA COVID-19?

Por Ricy Ayoub (CRN3 19931)

Nutricionista IMC e HMC

@ricyayoub (Link na Bio)

Além de higienizar bem as mãos, evitar aglomerações e fazer uso de máscaras caseiras, alguns hábitos para fortalecer o sistema imunológico podem auxiliar no combate à Covid-19, principalmente, para pacientes que estão nos grupos de risco. Vale lembrar que não existe nenhum alimento ou suplemento que previna ou trate a infecção do novo coronavírus, entretanto, indivíduos nutricionalmente deficientes são mais suscetíveis à infecções virais.

É interessante salientar nesse momento a redução do consumo de alimentos ultraprocessados priorizando a alimentação saudável com frutas, verduras, legumes, carnes, peixes, etc., manter adequada hidratação, priorizar a qualidade do sono e se manter ativo.

Dentre os nutrientes importantes segue abaixo uma lista dos que podem atuar na melhora da imunidade, tão importante para esse momento de pandemia:

VITAMINA D: Segundo alguns estudos sua deficiência pode estar associada a maior tempo de infecções respiratórias. Para melhorar seus níveis é válida exposição diária ao sol por 15 a 20 minutos (antes das 10:00 ou após as 16:00).

VITAMINA C: Garante boa integridade da mucosa e melhora a atividade de fagócitos atuando na imunidade. Um bom aporte de frutas e vegetais pode garantir níveis adequados.

ZINCO: Envolvido como cofator de muitas enzimas, esse mineral também tem associação a melhora da resposta a diversos vírus e está presente na semente de linhaça, gema de ovo, castanha de caju e feijão, por exemplo.

N ACETIL CISTEÍNA: Por sua ação mucolítica é indicado em infecções e está presente em cereais integrais e oleaginosas.

EXTRATO ALCOÓLICO DE PRÓPOLIS: Segundo estudos, devido a presença do Ácido Cafeico, tem atividade antiviral sendo sugerido uso de 10 a 15 gotas 2x/dia.

É sempre bom lembrar que deficiências ou necessidades de suplementação devem ser avaliadas por médicos e/ou nutricionistas. A automedicação é um risco à saúde e pode levar à efeitos colaterais indesejados. Consulte sempre um médico e siga as orientações de profissionais de saúde qualificados.

Referências:

1 – Nutr. J 2019 Nov 30; 18(1):80

2 – J Pathol. 203, 631-637 (2004)

3 – Nutrients. 2019 Sep 4; 11 (9)

WhatsApp
Enviar WhatsApp