Fumantes têm mais chance de complicações da Covid-19

Fumantes têm mais chance de complicações da Covid-19

Coronavirus. Smoking. Closeup man with mask during COVID-19 pandemic smoking a cigarette at the street. Smoking causes lung cancer and other diseases. The dangers and harm of smoking.

Com o aumento exponencial dos casos confirmados de COVID-19 e de óbitos por causa da doença no Brasil e no mundo, algumas estatísticas sobre a infecção do novo coronavírus têm se tornado ainda mais contundentes, é o caso do alto risco de complicações para os fumantes. Assim como os doentes crônicos, pacientes com doenças cardiovasculares, diabetes, idosos e obesos, as pessoas que fumam também são consideradas grupo de risco da Covid-19.

O tabaco causa diferentes tipos de inflamação e prejudica os mecanismos de defesa do organismo, por esses motivos, os fumantes possuem maior risco de infecções por vírus, bactérias e fungos. Prova disso é que são acometidos com maior frequência por infecções como sinusites, traqueobronquites, pneumonias e tuberculose.

Segundo a médica pneumologista, Dra. Mariana Bilachi Pinotti (CRM 145.624), sem um organismo combativo, a evolução da doença e o seu agravamento se tornam muito rápidos, muitas vezes difícil de ser revertido, por isso vemos um alto índice de complicações e, até de mortalidade, em pacientes fumantes.

Com o sistema imunológico vulnerável, os pacientes que fazem uso do tabaco ficam expostos às complicações sérias da Covid-19 e sabemos que, em se tratando dessa doença, o sistema de defesa é fundamental para a recuperação do paciente”, ressaltou a médica.

Além disso, o consumo do tabaco é a principal causa de câncer de pulmão e importante fator de risco para doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), entre outras doenças.

Por esses motivos, o tabagismo também é considerado um dos principais fatores de risco para a Covid-19. O possível comprometimento da capacidade pulmonar e do sistema imunológico fazem com que o fumante possua maior chance de desenvolver sintomas graves da doença.

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA)

WhatsApp
Enviar WhatsApp