DIA MUNDIAL DE COMBATE À TUBERCULOSE

DIA MUNDIAL DE COMBATE À TUBERCULOSE

Doença ainda atinge 10 milhões de pessoas por ano no mundo

Engana-se quem pensa que a Tuberculose é uma doença do século passado. Em pleno século 21 ela ainda acomete cerca de 70 mil brasileiros todos os anos. Mas esta história começa muito antes do que se possa imaginar. Na verdade, o Mycobacterium tuberculosis, bacilo de Koch que transmite a Tuberculose, já acompanha o homem há muito tempo. Pesquisadores apontam relatos de evidência da doença em ossos humanos pré-históricos, encontrados na Alemanha e datados de 8.000 anos A.C, mas estima-se que a Tuberculose tenha atingido maior número de pessoas infectadas ao longo do século XIX.

Foi durante a segunda metade desse século que grandes investimentos foram realizados no município de Campos do Jordão, pois na época acreditava-se que o ar frio e puro de suas montanhas era o melhor tratamento contra o Mycobacterium tuberculosis. A cidade cresceu e ganhou fama por abrigar pacientes com Tuberculose, mas anos depois a chamada “climaterapia” perdeu força pela falta de evidência de sua eficácia e pela chegada dos antibióticos que, de fato, revolucionaram o tratamento contra a doença, permitindo a cura dos pacientes.

Hoje, no Brasil, 7 pessoas são infectadas a cada 1 hora. No mundo são 10 milhões de casos por ano e 1,5 milhões de óbitos, dados expressivos que colocam a Tuberculose entre as 10 doenças que mais mata no mundo (desconsiderando a Covid-19 – doença recente causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 – SARS-CoV-2).

Apesar de muitos acreditarem que a Tuberculose está sob controle, nos últimos anos, pesquisas da Organização Mundial da Saúde (OMS) realizadas em várias regiões do mundo, apontaram um aumento de casos da doença. Esses números elevados têm sido atribuídos à deterioração das condições socioeconômicas e à desestruturação dos sistemas de saúde. A elevada taxa de mortalidade é resultante da falta de diagnóstico precoce, do uso inadequado dos medicamentos e de sua elevada transmissão em locais com pouca ventilação (ambulatórios, hospitais, prisões, asilos para pessoas idosas ou albergues para indigentes), por isso, mesmo munidos de vacina e tratamentos contra a Tuberculose ainda são registrados tantos casos e óbitos.

Para combater a Tuberculose é preciso se prevenir. É necessário imunizar as crianças com a vacina BCG. Se não for vacinado aos cinco anos, deve fazer o teste de Mantoux, ou PPD. Caso não apresente reação, deve ser vacinado estando em qualquer faixa de idade. A desnutrição, o alcoolismo, o uso de drogas ilícitas e de medicação imunossupressora aumentam o risco de contrair a doença. Portadores do vírus HIV e de doenças como diabetes, por exemplo, podem desenvolver formas graves de tuberculose, por isso, devem manter-se sob constante observação médica.

Fontes:

– Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose (REDE-TB).

– Conde MB, Souza GM, Kritski AL. Tuberculose sem medo. Editora Atheneu. 1ª ed. São Paulo: 2002.

– Veja Saúde: “Tuberculose: A infecção mais mortal do mundo”.

– Água Mineral Treze Tílias

– Site Drauzio Varella

WhatsApp
Enviar WhatsApp