Como manter o controle da Asma?

Como manter o controle da Asma?

Apesar de não ter cura, a doença pode ser controlada e evitar crises agudas

Falta de ar ou dificuldade para respirar, sensação de aperto no peito, chiado ou assobio agudo, respiração rápida, curta e tosse. Esses sintomas podem indicar uma crise de Asma. A doença que acomete os pulmões, acompanhada de uma inflamação crônica dos brônquios (tubos que levam o ar para dentro dos pulmões), não tem cura e ainda não tem causa determinada, mas acredita-se que esteja relacionada à um conjunto de fatores: genéticos e ambientais.

A Asma varia muito de uma pessoa para outra e no mesmo indivíduo também, em alguns momentos pode ser leve ao ponto de desaparecem os sintomas e em outros pode piorar muito, sendo necessários atendimentos de emergência e até mesmo internação. Ao longo das últimas décadas muitos avanços foram conquistados pela medicina em relação à doença, mas a Asma ainda é uma doença grave, deve ser controlada, porque pode levar à morte, como explica o médico pneumologista Dr. Diego Stefani Bizinoto: “A Asma é uma doença crônica, porém tratável e controlável, as pessoas devem se conscientizar e fazer o tratamento regular, que é individualizado. A cada 3 horas morre um brasileiro decorrente da Asma, ela é responsável por 350.000 internações no ano por exacerbações, sendo a 3ª/4ª causa de hospitalização. Diante da pandemia, com o aumento do número de novos casos da COVID-19, as infecções virais são causas frequentes dessas exacerbações, por isso o tratamento da Asma é tão importante nesse momento”. A Asma não é uma doença infecciosa e ela pode ocorrer em qualquer idade. Em crianças, ela está frequentemente associada a alergia, mas na idade adulta é menos alérgica. Quando a doença está bem controlada, os asmáticos são capazes de se exercitar e até praticar esportes de primeira linha. O controle da Asma é realizado mais frequentemente com corticoides inalados em baixas doses.

O que desencadeia a Asma?

Alguns fatores funcionam como gatilho e quando o asmático é exposto desencadeia sintomas ou piora a inflamação dos brônquios. Os principais gatilhos da Asma são:

  • Alergia: poeira, ácaro, mofo, pólen, fezes de barata, pelos de animais;
  • Infecções: viroses, como gripes e resfriados, ou ainda as sinusites;
  • Mudanças de tempo;
  • Fumaças; 
  • Poluição;
  • Cheiros fortes;
  • Esforço físico;
  • Aspectos emocionais;
  • Exposição ao ar frio;
  • Outras causas: alguns tipos de medicamentos, alguns alimentos, refluxo gastresofágico, causas hormonais, fatores relacionados ao trabalho ou a escola, asma provocada por outras doenças.

Tratamento de Controle da Asma

Por ser uma doença que varia muito de uma pessoa para outra, o tratamento deve ser individualizado e é importante o acompanhamento médico frequente para que o mesmo tratamento possa ter sua dose modificada conforme a necessidade do asmático. O tratamento desse ser baseado nas medidas de higiene do ambiente, em medicamentos e vacinas para alergia. Os medicamentos disponíveis são divididos em: drogas de alívio (para crises) e profiláticas (manutenção). A melhor forma de utilizar os medicamentos é a inalatória, pois assim são inalados diretamente para o local da reação e podem ser usados em doses menores que as necessárias por outras vias.

A “bombinha” é a maneira que as pessoas chamam todas as medicações inalatórias usadas no tratamento da Asma. Esse nome vem dos primeiros dispositivos que surgiram e que ainda existem. Na verdade, a bombinha é um dos dispositivos utilizados para armazenar os diferentes tipos de remédios (broncodilatadores e corticoides inalatórios), hoje existem também os dispositivos com medicação na forma líquida (aerossol) e em pó. Esses dispositivos que têm broncodilatadores de curta ação não viciam, como muitas pessoas acreditam, o que acontece é que o paciente ao não realizar o tratamento correto da Asma precisa fazer o uso recorrente dessas substâncias de alívio, o que pode parecer vício.“A Asma pode ser controlada em 95% dos pacientes e, com a doença controlada, o paciente mantém a qualidade de vida. É importante manter os exames médicos em dia e praticar atividades física”, afirma o pneumologista.

Como prevenir a Asma?

Seguir as recomendações de higiene ambiental e utilizar corretamente os medicamentos prescritos são fundamentais para prevenir as crises de asma. O ambiente deve ser o mais higiênico possível, visando restringir o contato do asmático com elementos que desencadeiam as crises. Recomenda-se não ter fumantes no ambiente domiciliar. Os animais, quando tiver, devem ser mantidos fora de casa. Colchões e travesseiros devem ser forrados com material impermeável e este forro precisa ser lavado periodicamente. Alguns desinfetantes podem ajudar a reduzir a proliferação de ácaros em casa, baratas devem ser combatidas, pois também estão relacionadas à alergia e maior gravidade da asma.

WhatsApp
Enviar WhatsApp