TRANSIÇÃO DO CUIDADO

1. OBJETIVO

A transição do cuidado tem como objetivo promover a segurança para paciente/cliente no momento em que o mesmo será transferido de um setor para outro, remoção externa e inclusive para alta hospitalar. Melhorar a qualidade da assistência e influenciar a qualidade de vida dos pacientes, contribuindo para evitar reinternações hospitalares desnecessárias.

2. APLICAÇÃO

Este protocolo aplica-se nos pontos de assistência dos setores do Hospital do Coração (HMC), sendo estes; as UTIs, centro cirúrgico, emergência e enfermarias.

3. DEFINIÇÕES

Formulário de checklist de transferência do paciente: é um formulário com dados pessoais do paciente/cliente, com informações de como o mesmo se encontra hemodinamicamente e quais os dispositivos invasivos ele possui no momento da transferência de setor e/ou remoção externa. É aplicado em todos os níveis de prestação de cuidados que envolva a transição dos pacientes/clientes do hospital.

  • Transição do cuidado: Qualquer momento da prestação em que se verifique a transferência de responsabilidade de cuidados e de informação entre prestadores, que tem como missão a continuidade e segurança dos mesmos. São exemplos, a transição de cuidados entre os cuidados de saúde primários, os cuidados hospitalares e os cuidados continuados integrados, bem como, a transição intra/interinstituições.

4. RESPONSABILIDADE

Enfermeiro: Responsável por preencher o formulário de checklist de transferência do paciente sempre que o paciente/cliente for transferido de um setor para outro e/ou remoção externa.

Médico: Responsável pela solicitação de alta bem como a tomada de decisão da transferência de setor/instituição do paciente/cliente.

5. DESCRIÇÃO

A transição do cuidado é um conjunto de ações destinadas para assegurar a coordenação e a continuidade do cuidado na transferência intra/extra hospitalar do paciente/cliente e/ou para alta domiciliar em referências. As transições de cuidados seguros baseiam-se na implementação de uma comunicação eficaz entre as equipes prestadoras de cuidados, competindo a estas o dever de assegurar uma comunicação precisa de informações, contribuindo para a redução da ocorrência de erros e evitando lacunas na transmissão da informação, que podem causar quebras graves na continuidade de cuidados e no tratamento adequado.

5.1 Transferência Do Paciente Entre Os Setores Do Hospital

Independente da origem todo paciente/cliente e/ou seu responsável que necessita de atendimento de urgência/emergência, passa pela recepção para abertura de boletim de atendimento. O mesmo é atendido pelo médico plantonista e pela equipe de enfermagem do setor.

Quando as condições clínicas do paciente são estabilizadas o médico avalia se o paciente/cliente necessita de internação ou alta hospitalar. Quando é necessário internação o responsável é encaminhado até a recepção para que o processo de internação se inicie. O paciente é encaminhado de maca para o setor de internação e/ou UTI, acompanhado pela enfermagem e com o impresso de Transição de Cuidado preenchido com todas informações necessárias para a continuidade do atendimento, bem como a passagem de plantão da equipe de enfermagem e médica. Quando o paciente/cliente já está internado na enfermaria e apresenta deterioração clínica, o mesmo é avaliado pela equipe multidisciplinar e caso haja necessidade de transferência para UTI, é encaminhado de maca, acompanhado pela enfermagem e com o impresso de Transição de Cuidado preenchido com todas informações necessárias para a continuidade do atendimento, bem como a passagem de plantão da equipe de enfermagem e médica. O mesmo acontece quando o paciente/cliente recebe alta da UTI para enfermaria.

O paciente/cliente que fez um procedimento cirúrgico com solicitação de internação para enfermaria, será transferido de maca, acompanhado pela enfermagem e com o impresso de Transição de Cuidado preenchido com todas informações necessárias para a continuidade do atendimento, bem como a passagem de plantão da equipe de enfermagem.

O paciente/cliente que fez um procedimento cirúrgico com solicitação de internação em UTI também será acompanhado pela equipe de enfermagem com a presença do médico anestesiologista e será transferido de maca com o impresso de Transição de Cuidado preenchido com todas informações necessárias para a continuidade do atendimento, bem como a passagem de plantão da equipe de enfermagem e médica.

5.2 Alta Hospitalar

O paciente/cliente que é considerado crítico (pacientes com sondas, traqueostomia, sendo necessário aspiração, etc.) e recebe alta hospitalar a equipe multidisciplinar realiza orientações para o mesmo, bem como seu responsável e/ou familiar e entrega o FORM 0035 PLANO DE ALTA, com orientações de como dar continuidade no tratamento em casa. Os pacientes de baixa complexidade são liberados após alta médica e orientação da equipe de enfermagem.

5.3 Serviços de Referências

De acordo com as características da instituição, não há referências pré-determinadas. Quando necessário o referenciamento, o médico identifica a unidade para qual o paciente será encaminhado.

A equipe multidisciplinar do Hospital do Coração é treinada e preparada para garantir as informações necessárias no momento da alta hospitalar. No FORM 0035 PLANO DE ALTA a equipe multidisciplinar preenche e orienta o familiar/responsável para os cuidados pós alta.

6. DISTRIBUIÇÃO DE CÓPIAS

Nas enfermarias, UTIs, emergência, centro cirúrgico e departamento de qualidade.

7.REGISTROS

FORM 0037 CHECK LIST DE TRANSFERÊNCIA DO PACIENTE.

8. ANEXOS

Não se aplica.

9. REFERÊNCIAS

Transição Cuidado

https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/download/47615/pdf

 

 

Elaboração: Naiara C. Borges Pereira (Enfermeira da Qualidade)

 

Revisão: Enf. Márcia Rosângela Carvalho (Gerente de Enfermagem)

 

Aprovação: Dr. Luciano Miola (Diretor Técnico) e Michael Melo (Diretor Administrativo)

WhatsApp
Enviar WhatsApp