IMC _ Instituto de Moléstias Cardiovasculares

Cadastre-se

Cadastre-se e receba as novidades

Twitter

Fique Sabendo

Check Up – o que você precisa saber?

Mid_21_check-up.jpg

Conhecido como um conjunto de exames voltados à investigação de possíveis problemas de saúde, os check ups podem ser de vários tipos, mas, especificamente, dois deles chamam a atenção de início, os gerais e os setoriais.


Os check ups gerais envolvem exames e testes cardiovasculares, pulmonares, gastrointestinais, neurológicos, bioquímicos, hepáticos e renais. Nos setoriais, cada especialidade tem na lista de exames indicados ao indivíduo que irá passar por tais procedimentos.


Nos check ups cardiovasculares convencionais, são indicados eletrocardiograma, ecocardiograma, ergometria, Raio X de tórax e exames bioquímicos convencionais como colesterol, triglicérides, de anemia, de urina e de funções hepáticas e renais. Em menor freqüência, exames de próstata e tireóide também podem ser indicados.


De acordo com médico cardiologista e eletrofisiologista do IMC – Instituto de Moléstias Cardiovasculares de São José do Rio Preto - Adalberto Menezes Lorga, uma primeira avaliação para quem nunca fez nenhum exame deste tipo é importante para detectar possíveis problemas genéticos ou congênitos o mais rapidamente possível. Assim, este primeiro check up que busca encontrar possíveis alterações de pressão arterial, colesterol ou no funcionamento no sistema elétrico do coração deve ser feito ainda na adolescência. “As pessoas devem fazer um check up ainda que não sintam nada ou tenham pequenas queixas. Esta atenção deve ser redobrada em caso de histórico familiar para problemas cardiovasculares”, afirma o médico.


Ainda de acordo com o cardiologista, a freqüência dos exames deve ser adaptada aos resultados obtidos nos mais jovens e, caso não haja nenhuma alteração, podem ser realizados em intervalos de cinco anos. Caso haja alguma alteração, os períodos entre os exames devem ser menores.


“Pessoas na faixa entre 50 e 60 anos devem fazer pelo menos uma bateria de exames por ano. Isto se não estiverem em tratamento cardiovascular ou algum outro, quando terão seus retornos indicados pelo médico que o acompanha”, comenta o médico que afirma ainda que “o check up acontece apenas quando a pessoa não sente nada e quer saber um pouco mais sobre sua saúde. Fora isso e se existir alguma indicação para fazê-lo, já configura uma consulta de rotina”, explica.


 


Duração e proteção


 


Na maioria dos casos, a realização de um check up cardiovascular completo dura aproximadamente 24 horas, somando-se a isto o mesmo período de tempo para que os resultados sejam obtidos e analisados.


O médico explica ainda que um check up não significa tratamento da doença ou proteção total à pessoa. “Existem problemas que podem aparecer de maneira muito rápida e grave mesmo em condições clínicas que não apresentavam a predisposição a certas patologias. Contudo, ter controle dos níveis de colesterol, pressão arterial e defeitos genéticos é um passo adiante na prevenção e possível tratamento de complicações futuras e melhora na qualidade de vida de todos”, conclui.